terça-feira, 30 de novembro de 2010

Educação financeira começa cedo, com exemplos

Algumas histórias são tão simbólicas que passam despercebidas diante dos olhos de muita gente. Suas lições, no entanto, são razão para profundas reflexões, especialmente quando nos damos conta de sua importância. Parte de meu aprendizado rumo à independência financeira surgiu a partir da observação, do conhecimento experimentado, do olhar atento ao que ocorria comigo e à minha volta. A história abaixo servirá de gancho para conversarmos mais sobre isso.
Eu devia ter uns quatro, cinco anos no máximo. Andava pelas ruas do bairro ao lado de meus pais, alguns amigos e seus pais. De repente encontrei alguns Cruzeiros (moeda da época) no chão, em notas amassadas, claramente perdidas há um bom tempo. Percebi o pequeno “tesouro” e ao abaixar para recolhê-lo, uma voz gritou: “Não pegue dinheiro assim. Não faça isso, dinheiro é sujo. O dinheiro está cheio de micróbios, bactérias e você vai ficar doente”.
Pelo tom da voz, soube imediatamente que as palavras não vinham de meu pai ou de minha mãe. Era Dona Ana, mãe de Pedro, que apontava seu dedo para mim e começava a esboçar a reação típica de alguém preocupado, querendo saber quão grave havia sido minha descoberta e atitude. Eu estava fazendo algo realmente impróprio e indesejado segundo sua avaliação.
Com calma e elegância minha mãe colocou sua mão no ombro de Dona Ana e lhe pediu licença. Ao se interpor entre mim e ela, falou com serenidade: “Imagine, está tudo bem com ele Ana”. Então virou-se para mim e disse: “Meu filho, recolha seu tesouro e vamos aproveitar para multiplicá-lo, como já o ensinei. Guarde-o com segurança e só então vamos lavar suas mãos”.
Eu estava tranquilo, aquela não era a primeira vez que eu “farejava uma oportunidade”. Ouvi os passos calmos de minha mãe em minha direção e continuei a trabalhar em uma forma de retirar o dinheiro sem danificá-lo. Quando chegamos em casa, algumas horas depois, fui correndo depositar meu tesouro no cofrinho dado pelos meus pais alguns meses antes.
Educação financeira começa cedo. Começa com o exemplo, com o apoio dos pais e com a crença de que o dinheiro não é, nem nunca será sujo. Aquele dia transformou minha vida por duas razões simples:
  • Eu podia confiar nos meus pais para realizar meus sonhos. Para uma criança, comprar um brinquedo e encontrar alegria em uma simples visita a um parque de diversões são metas ousadas, que exigem esforços de negociação, disciplina e algum dinheiro. Aprendi a valorizar a conquista porque era motivado a sonhar, mas também a valorizar (dar valor) o que desejava. Saber quanto custa é diferente de saber quanto vale. Uma criança só pode aprender isso com a ajuda dos pais;
  • Amor não significa proteger o outro de tudo. É certo que eu poderia ter desenvolvido alguma infecção, alergia ou coisa parecida ao tocar aquele dinheiro encontrado no chão. Mas estava em jogo uma lição mais importante, felizmente incentivada por minha mãe: nossas atitudes geram consequências, muitas delas frustrações. Viver em uma bolha não faz o tipo de quem quer ser independente financeiramente. Fui o tipo de criança que teve todo e qualquer tipo problema relacionado à curiosidade; aprendia e seguia em frente, sempre sob o olhar desafiador de meus pais.
Você, pai, mãe, já se deu conta do quanto ensina ao seu(s) filho(s) sobre dinheiro, finanças pessoais e investimentos através de seu comportamento, suas decisões e atitudes? Provavelmente não. Você costuma negociar e pedir desconto quando vai comprar alguma coisa? Investe no futuro de sua família? Guarda algum dinheiro? Está endividado? Sua família observa tudo. E toma seu passo como modelo.
Você, filho, filha, já é capaz de observar suas decisões econômicas e compará-las ao que acontece em sua família, com seus pais? Simplesmente replica muito do comportamento familiar, sentindo-se em uma espécie de piloto automático? Ou será que é capaz de discutir as opções, agregando valor à discussão, além de tentar provocar uma visão “fora da caixa”?
Como você percebeu, o texto de hoje é um convite. Precisamos ser mais responsáveis com a formação de nossos cidadãos. Você topa? Crianças, adolescentes e jovens são parte do processo, o que traz enorme responsabilidade ao ambiente familiar, escolar e às amizades. Você tem se preocupado apenas com a educação formal ou tem agido de forma a ensinar também com suas próprias mudanças e melhores escolhas?
O futuro cultural, financeiro e familiar de uma geração pode estar amparado no que nós, adultos, fazemos agora, hoje. Geralmente está. Será que somos humanos demais para perceber isso? Ora, justificar a inércia abusando de nossa natureza é abrir mão do verdadeiro amor que uma família deve carregar. Amar significa dizer “não” de vez em quando, ficar doente, “cair do cavalo”. Amar significa ajudar o outro a se levantar, processar as lições e dar o próximo passo.
Não é de hoje que temos que aprender a lidar melhor com a frustração, os momentos tensos, decisões difíceis e responsabilidades. Ouvia muito minha avó dizendo que “as palavras ensinam, mas só o exemplo arrasta”. Que tal viver um padrão de vida sustentável, dentro de seus limites possíveis? Que tal olhar para o seu filho e ver nele um cidadão, alguém que você quer que melhore as coisas, que deixe um legado? Que tal começar a dar exemplos decentes, dos quais você realmente se orgulharia? Ainda dá tempo.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sonhos, ousadia e ação

Albert Einstein (1879-1955), físico alemão famoso por desenvolver a Teoria da Relatividade, mencionou durante sua vida, várias frases famosas. Uma delas é: "Nunca penso no futuro. Ele chega rápido demais". Para um gênio como Einstein que vivia muito à frente de sua época, tal frase poderia ter certo sentido. Mas também deixa claro que sua preocupação era agir no presente, no hoje, e as consequências dessas ações seriam repercutidas no futuro.
Ainda utilizando frases do físico, mais uma vez ele quebra um paradigma quando cita: "A imaginação é mais importante do que o conhecimento". Os céticos podem insistir em afirmar que o mais importante é adquirir conhecimento. No entanto, sem a criatividade nascida de uma boa imaginação, de nada adianta possuir conhecimento se você não tem curiosidade em ir além.
O conhecimento é muito importante para validar a criatividade e colocá-la em prática, mas antes de qualquer ação existiu a imaginação, um sonho que aliado ao conhecimento e habilidades pode transformar-se em algo concreto. Já a imaginação criativa, sem ações, permanece apenas como um sonho.
Ainda à frente de sua época e indiretamente colaborando para os dias atuais, Einsten mais uma vez apresenta uma citação interessante: "no meio de qualquer dificuldade encontra-se a oportunidade". Ou seja, mesmo em meio a uma crise, podemos encontrar oportunidades. Oportunidades aos empreendedores, aos inovadores, às pessoas e empresas que tiverem atitude e criatividade, que saiam da mesmice, que não se apeguem a fatos já conhecidos, mas busquem o novo, o desconhecido.
Como profissionais, precisamos ser flexíveis e multifuncionais. Devemos deixar de nos conformarmos em saber executar apenas uma atividade e conhecer várias outras, nas quais com interesse e dedicação podemos ser diferenciados. Já as organizações devem encontrar em uma nova realidade, novos usos de produtos e boas oportunidades para os mercados que passaram a existir.
E para fechar este artigo com chave de ouro, cito outra sábia frase de Einstein: "Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe provando o contrário". Acredite, tudo é possível desde que seja dado o primeiro passo. Você pode realizar seus sonhos se tiver confiança e lutar por eles. Poderá encontrar novas oportunidades desde que olhe "fora da caixa" e seja o primeiro a descobrir uma chance que ninguém está conseguindo ver.
Para se chegar a uma longa distância é preciso, antes de tudo, dar o primeiro passo. Parecia impossível o homem voar e ir à lua. Quem imaginou, 30 anos atrás, que poderíamos acessar milhares de informações em milésimos de segundos através da Internet? Mas para estas perguntas, por mais óbvias que sejam as soluções, faço das palavras de Einstein, minha resposta: alguém que duvidou e provou o contrário.

Fonte: Rh.com.br

domingo, 28 de novembro de 2010

Segurança: Será que os jovens estão protegidos no mundo virtual?

Em um estudo recente da McAfee, foi constatado que quase metade dos adolescentes brasileiros publica sua localização em perfis de redes sociais. A gente dá a dica de como trafegar com segurança

Ao mesmo tempo em que cresce o número de jovens nas redes sociais, aumenta o risco a que eles se expõem no mundo virtual. Em um estudo recente  da McAfee, foi constatado que quase metade dos adolescentes brasileiros entre 13 e 17 anos publica sua localização em perfis de redes sociais. Além de curioso, o dado é alarmante.
"Temos inúmeros jovens que constantemente vem sendo lesados por conta da sua própria imprudência, por ter cadastrado um telefone na internet ou falar onde frequentava, e com essas informações hoje o criminoso digital pode aplicar um golpe", explica José Milagre, consultor em segurança.
Ainda de acordo com a mesma pesquisa, hoje 80% dos jovens fazem parte de alguma rede social; quando não de várias delas. Assim, muitos deles passam mais tempo na frente do computador do que fazendo qualquer outra coisa. A maioria usa a web de seis a sete dias por semana. Segundo José, a internet é como as ruas, não é preciso deixar de sair às ruas, mas tem que entender que há perigo. "Os pais precisam de um alerta: o filha que está o dia todo no computador não está seguro. Os riscos que a internet nos oferece é muito maior que os riscos físicos", conta.
O problema é que muita gente ainda tem aquela velha mentalidade que os problemas sempre acontecem com os outros... E é aí que mora o perigo. Gente mal-intencionada nem tem muito trabalho para preparar um ataque. As informações estão todas ali: a localização em tempo real, número de telefone, endereço, nome da escola, fotos, ou seja, porta aberta para problemas. "Para o criminoso digital o simples fato de ele saber que você está online é muito útil. Então, os jovens devem ter cuidado até em que eles aceitam no messenger, por exemplo. Porque quando você está online que eles fazem o footprint que é o levantamento dos dados do criminoso digital", diz o consultor. Ele ainda conta que existem inúmeros casos de jovens que disseram que estavam no shopping e foram sequestrados ou casos em que eles contaram que a família iria viajar e os criminosos assaltaram as casas.
Especialmente o pessoal mais jovem está super familiarizado com o mundo da tecnologia, mas, às vezes, essa facilidade de está acompanhada de ingenuidade e imprudência. "Não adianta guarda-costas virtual, supervisor de conteúdo, qualquer programa pro filho não acessar. Lembre-se que seu filho nasceu na tecnologia, ele é geração Y, e ele vai saber burlar isso facilmente. A dica é: converse com seu filho, marque presença e exponha os riscos que a rede tem. E principalmente, navegue junto com ele, adicione ele nas comunidades sociais e faça ele perceber que você conhece por onde ele navega", alerta.
Preste atenção em tudo. Até as fotos que você compartilha na rede merecem cuidado. O melhor mesmo é ficar esperto na hora de publicar informações pessoais na Web. Não se exponha à toa. No olhardigital.com.br você encontra diversas matérias relacionadas à segurança e privacidade nas redes sociais. Acesse, mantenha-se informado e seguro, sempre!

sábado, 27 de novembro de 2010

Comunicação e Cultura: de mãos dadas para o sucesso

Atualmente, um dos grandes problemas que afligem as empresas em todo mundo é a maneira como as pessoas comunicam-se no ambiente de trabalho. Uma das questões mais discutidas por especialistas e consultores refere-se exatamente à comunicação interna nas empresas: como trabalhá-la de forma a obter uma cultura favorável aos objetivos traçados pela organização?
O chamado relacionamento interpessoal processa-se através de como as pessoas comunicam-se, ou seja, a base das relações humanas e sociais ocorre através da comunicação. Sob esse aspecto pode-se afirmar que o homem é aquilo que consegue comunicar ao seu semelhante, na sociedade onde vive; é um ser social por natureza, porém com capacidades comunicativas individuais. E são essas capacidades que irão coordenar esforços e evitar ou não conflitos nas relações entre pessoas.
Utilizando a lógica, podemos concluir que se uma organização é feita de pessoas e pessoas relacionam-se através da comunicação, estudar e entender como a comunicação processa-se dentro uma empresa é uma solução estratégica para se chegar à raiz de alguns problemas que interferem no alcance dos objetivos traçados pela companhia. Muitos especialistas definem este tipo de dificuldade como "problemas de cultura organizacional" e criam planos mirabolantes para ajustar e até para mudar a cultura de uma empresa. Eles esquecem que este é um fator que depende não apenas dos seus planos, mas das pessoas que fazem parte dessa cultura, ou melhor, das pessoas que são responsáveis pela existência e perpetuação dessa cultura.
A cultura organizacional de uma empresa é definida, em boa parte, pela cultura do ambiente onde a empresa está inserida. Isso se deve ao fato de que as pessoas não conseguem simplesmente "deixar do lado de fora" seus valores, suas crenças e seus princípios pessoais, nem os da sociedade na qual estão inseridas. Dentro da empresa, é preciso identificar os grupos formais e informais e suas respectivas lideranças. Trabalhar essas pessoas é de fundamental importância para a disseminação de uma cultura organizacional favorável.
É fácil perceber que as pessoas possuem um papel primordial na definição da cultura de qualquer organização, afinal são elas que a promovem. A criação de uma cultura organizacional favorável aos objetivos traçados pela organização começa pela delegação de responsabilidades e de autoridade às pessoas, que precisam se sentir como parte do processo. Na busca pela melhoria do relacionamento interno nas organizações é importante considerar a abertura de canais de duas mãos entre líderes e subordinados, seja via escrita ou oral, conscientizando e engajando funcionários numa mesma diretriz empresarial. Incentivar a contribuição deles em atividades de comunicação os torna agentes das empresas em relação aos seus diversos públicos.
Na verdade, é a comunicação a responsável por permitir o acompanhamento, a avaliação e o julgamento dos resultados de todos os processos desenvolvidos numa organização. Por isso, é importante envolver todos os indivíduos que direta ou indiretamente participem do processo, a fim de que todos possam compartilhar do mesmo sentimento de missão e oferecer sua contribuição para o sucesso.
Por esta abordagem, as informações que fluem continuamente pelo sistema de comunicação mantêm a organização em permanente sintonia com os clientes - internos e externos - e com ela mesma como um todo. Não se pode negligenciar o fato de que a comunicação interna causará efeitos positivos ou negativos na comunicação externa da organização, e essa, por sua vez, exercerá influência direta na imagem da empresa perante o mercado em que atua. Sendo assim, a existência de uma gestão organizacional mais flexível e menos centralizada implica reconhecer o comprometimento das pessoas e, ao mesmo tempo, respostas mais ágeis e claras ao ambiente com o objetivo de tornar a organização mais competitiva.
Trabalhar a comunicação de forma a interferir na cultura de uma empresa é muito mais que manter informados os funcionários das decisões da diretoria. É preciso muita sensibilidade para perceber que o diálogo não deve ser procurado apenas em situações de emergência, e sim constantemente. É necessário que a organização apresente uma proposta transparente de intenções através de uma cultura organizacional que dissemine o que se espera dos colaboradores, através de uma comunicação simples, clara e coesa com os interesses da empresa por meio de respeito ao contínuo desenvolvimento e satisfação das necessidades das pessoas.
Não é preciso definir quem determina quem: se é a comunicação interna que determina a cultura de uma empresa ou vice-versa. Isso é, para mim, como descobrir quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha. Esses dois elementos da organização interdependem e se completam: eles caminham juntos!

Fonte: Rh.com.br

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Windows Phone 7 já tem 3 mil aplicativos

A loja de aplicativos do sistema operacional deve lançar novas apps e games a partir da semana que vem

De acordo com os números vindos do Windows Team Blog, espaço online dedicado a novidades do Windows Phone 7, a loja de aplicativos Marketplace deve chegar a 3 mil apps e games até a semana que vem. Para se ter ideia do avanço, até 9 de novembro deste ano existiam menos de 2 mil opções na loja.
Além disso, foi divulgado também que mais de 15 mil desenvolvedores se registraram na loja, o que levará ainda mais crescimento para a plataforma. Com esses dados, dá para ter uma ideia da onde o Windows Phone 7 quer chegar daqui alguns anos.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Novas redes sociais para todos os gostos!

Para aqueles que cansaram do Orkut e Facebook, novos sites de relacionamento direcionam os usuários para temas específicos de seu interesse.

As redes sociais tomam conta da internet e, se você quer manter contato com aquele amigo que mora longe, elas são uma boa opção. Mas e se você quiser ir além e tiver atrás de pessoas que possuam interesses em comum com os seus? Pois é, saiba que as redes sociais específicas podem te ajudar. Essa aqui, por exemplo, reúne os fãs das séries de TV. Basta buscar pelas suas séries preferidas e selecionar os episódios que já assistiu. É possívelconferir quantas pessoas assistem a série em questão, quantos episódios foram exibidos e até mesmo as regiões do Brasil em que ela é mais popular. Se você estiver procurando por séries novas, confira a opinião dos usuários antes de definir o seu próximo vício.
Essa outra aqui é a Sixty One, uma rede social para conhecer trabalhos de músicos que estão chegando agora ao mercado. Basicamente é assim: as músicas são postadas e os usuários decidem se ela é boa ou não. Basta navegar entre as páginas para ouvir as novidades da rede social.
Se você é fã de games e quer compartilhar toda a sua paixão com outros jogadores, fique de olho na rede social PlayFire. Nela, você escolhe os games que já jogou, adiciona telas de suas façanhas, além de compartilhar tudo isso com outros fãs de jogos. A interface é ainda mais interessante, permitindo que você veja todos os títulos do seu computador expostos sob a forma de prateleiras. Confira os gráficos e fique sabendo qual é o gênero que você mais joga dentre os títulos escolhidos.
Você coleciona alguma coisa? Selos, moedas, cartões telefônicos e até mesmo envelopes de chá? Nessa rede social aqui, o que vale é reunir objetos. Compartilhe sua coleção, navegue nos perfis de outros usuários e fique de olho nas listas disponíveis no site para ver se alguém tem aquele último selo que você não encontra em lugar nenhum.
Agora que você já conhece algumas redes sociais bem específicas, que tal fazer o cadastro em uma delas e conhecer gente nova? Acesse os links abaixo e participe! Você também pode conferir essa outra matéria que separamos pra você. Nela, mais redes sociais para grupos bem específicos podem ser encontradas. Divirta-se!


Links:






terça-feira, 23 de novembro de 2010

Como transformar funcionários em colaboradores da marca

Ninguém sabe muito bem o que acontece, mas existem algumas profissões que fazem com que as pessoas se lembrem de problemas que têm quando se encontram. Eu costumo chamar isso de "Síndrome do Médico". Existem dois exemplos clássicos: médicos e profissionais de tecnologia. Os médicos porque, ao falar sua profissão para qualquer pessoa, correm sério risco de ouvir a famosa frase: "Hum, você é médico? Estou com uma dorzinha aqui que não me deixa em paz. O que pode ser? O que eu devo tomar?".
Se alguém falar que trabalha com tecnologia ou Internet, prepare-se para ouvir frases como: "Que bom que você trabalha com isso, meu computador está com um problema que eu não sei o que é. Estava tudo bem e agora não abre nada. Acho que é vírus. Você pode dar uma olhada?". E lá vai você tentar explicar que, embora você trabalhe em uma agência de comunicação digital, isso não te faz um técnico em informática. Na verdade, isso é uma maneira de pedir ajuda para quem, teoricamente, conhece os atalhos, saberia consertar rapidamente, e o melhor: apenas fazendo um favor sem cobrar nada.
Pois bem, hoje há uma necessidade por ‘profissionais' com essas características. Na verdade, não depende tanto da profissão, mas sim do tipo de organização em que você trabalha. Empresas de telecomunicações (telefonia e Internet), bancos, cartão de crédito, com certeza lideram esse ranking informal da "Síndrome do Médico". Experimente falar que você é funcionário de uma dessas companhias. Sempre vai ter um amigo de um amigo que está com um problema, e que talvez tenha se perdido em um buraco negro burocrático e que precisa da ajuda de alguém de dentro da empresa para que o processo dele ande.
Geralmente, quando uma situação chega a esse patamar, resolver esse legado costuma ser mais trabalhoso e caro. Mas é algo que precisa ser feito ou a organização corre o risco de ser multada, não vender seus produtos e isso é um dano grave à marca. Mas existem maneiras de prevenir problemas, e não é só ao oferecer um bom produto ou atendimento. É através de uma boa prática de comunicação interna, que estimule algo que poucas companhias se arriscam a fazer: o diálogo.
Usando a "Síndrome do Médico" como parâmetro, quantas pessoas de todas as áreas da empresa foram abordadas por amigos de amigos sobre problemas com aquela companhia? Esse seria um primeiro sinal de que alguma coisa não estava funcionando como deveria. Se os funcionários não sentirem que há abertura da organização para ouvir críticas ou possíveis soluções, como eles poderão passar essas informações para seus superiores, se eles mesmos ficam presos no buraco negro burocrático?
E mais, como essas pessoas se sentirão seguras de indicar os serviços ou produtos dessa empresa se eles têm ouvido tantas críticas de pessoas tão próximas a eles? Simples. Eles não vão indicar nunca. É a reputação deles que está em jogo. E se quem trabalha na companhia não indica o produto ou serviço que ele produz ou oferece, quem deveria indicar? Contar apenas com a propaganda é inocência e, em tempos de redes sociais, é tapar o sol com a peneira.
Agora imagine uma empresa em que o diálogo seja estimulado entre os funcionários (que agora poderiam ser chamados de colaboradores) e que todo e qualquer aviso de problemas dos amigos dos amigos fosse tratado com a mesma importância, seja vindo do estagiário ou do CEO. Nessa mesma organização, uma pessoa do departamento pessoal sugere uma mudança na logística e é levada em consideração. O responsável pelo setor responde a sugestão, tenta entender mais detalhes, estuda sua viabilidade e o impacto antes de negar sem ao menos ler.
Esses são alguns exemplos do uso do diálogo e da colaboração na comunicação interna. São maneiras simples de mostrar que há uma cultura aberta à colaboração. Os benefícios são claros. As pessoas que trabalham nessa empresa se sentirão mais parte de todo o processo e terão mais confiança no produto e na organização. Isso gerará uma sensação de fazer parte de uma comunidade e fará com que as pessoas se sintam donas da empresa e divulguem os serviços com autoridade. Através dessa abertura para o diálogo e a colaboração, a sua marca só tem a ganhar. Tanto com o público interno quanto com o externo.

Fonte: Rh.com.br

domingo, 21 de novembro de 2010

O poder do elogio

Já vi textos relacionados a esse assunto publicados em vários tipos de mídias, de vários autores diferentes, na faculdade e em livros. Mas, o que realmente me mostrou o verdadeiro poder do elogio foi o caso abaixo.
Na mesma sala em que trabalho, existe um departamento que tem suas atividades intimamente ligadas aos departamentos operacionais da empresa e, sendo assim, todos os seus fornecedores são colaboradores de outros departamentos.
Na minha empresa é sempre difícil conseguir que uma pessoa faça algo, se você não for um cliente externo ou alguém que esteja um degrau acima na hierarquia. Entretanto, um dos profissionais que trabalha nesse departamento que eu citei é diferente, seu nome é "Alex". Ele sempre consegue tudo o que quer e sempre é o mais produtivo de seu departamento. Percebendo isso, decidi tentar entender qual era seu segredo milagroso e observar, qual era sua estratégia de abordagem quando ia pedir algo para um de nossos colegas de trabalho.
Fazendo esta tarefa de "observação", curiosamente não percebi qualquer diferencial. Ele apenas chegava à pessoa, pedia ou mandava um e-mail e a tarefa saia numa boa. Eu ficava impressionado, pois apesar de ser bastante simpático, a princípio ele não fazia nada de diferente. Já situações semelhantes, envolvendo outras pessoas, tinham um desfecho totalmente diferente.
Foi quando certo dia eu tomava meu café da manhã e o vi chegando ao refeitório, com seu costumeiro bom humor. Foi, quando, percebi algo que me chamou a atenção. Alex chegou e já na fila começou a conversar com uma de nossas secretárias e a elogiou, ao falar sobre um trabalho que ela tinha feito para ele. Ele afirmou que a atividade dela tinha ficado muito boa. Comentou que ela era muito competente e que não poderia encontrar alguém que fizesse aquele trabalho tão bem feito. Alex fazia questão de falar na frente dos outros e, fazendo a maior farra, deixou a secretária muito feliz.
Vendo toda a cena, decidi falar com Alex e explicar que estava o observando e tivemos uma conversa que me deixou de queixo caído, pois ele falava de um jeito bem simples e seu raciocínio tinha uma coerência assustadora.
Ele me disse: - Eu sempre elogio as pessoas. Sempre faço isso com sinceridade, pois as pessoas precisam de elogios para massagear o ego e um elogio falso não vale nada. Não adianta eu chegar e falar que seu cabelo está legal, sendo que você sabe que não está. Quando eu faço um elogio, sei que provavelmente a pessoa vai querer ouvir outro elogio. Sempre que eu preciso de algo dessa pessoa, sei que ela fará bem, pois ela sabe que será elogiada novamente.
Refleti sobre essas palavras e percebi que era a mais pura verdade. Se soubermos usar o poder do elogio em nossas vidas, só conseguiremos coisas boas e com toda certeza seremos pessoas mais agradáveis para nossos colegas de trabalho, nossas famílias e amigos.
Elogie, enxergue o lado bom das pessoas, perceba o que elas fazem de melhor e desenvolva a capacidade de usar o PODER DO ELOGIO.

Fonte: Rh.com.br

sábado, 20 de novembro de 2010

10 razões para não temer a avaliação de desempenho

Desde que nascemos, enfrentamos vários desafios: aprender a andar, a ler e escrever, a sair sozinho, a ingressar numa universidade. Em todas essas e outras fases, o ser humano é constantemente submetido a avaliações mesmo que não se der conta. Quando assumimos um cargo em uma organização, é mais do que comum que a nossa performance seja analisada. O problema é que muitos consideram a avaliação de desempenho como uma porta, um caminho para ser desligado da empresa, perder a chance de assumir uma função mais elevada e até mesmo sofrer algum tipo de retaliação. Essas reações são comuns na nossa cultura, afinal o trabalhador brasileiro não foi acostumado associar um processo de avaliação a uma chance de desenvolvimento. Por isso, o medo ou o receio permanecem. Mas, é possível reverter essa realizada através da forma como a avaliação de desempenho é apresentada ao funcionário. São fundamentais as participações dos gestores e dos profissionais de Recursos Humanos, para que o processo não seja mais considerado um "bicho papão". Abaixo, seguem algumas dicas para fazer o processo transcorra normalmente e com êxito.
1 - Como em todo processo que traz novidades, as pessoas sentem-se receosas diante do desconhecido. E quando sabem que terão seu desempenho avaliado, podem entrar em processo de "curto circuito". Por essa razão, manter uma comunicação clara com os colaboradores é fundamental e cabe à alta direção - através dos canais oficiais da empresa - fazer um comunicado oficial, para que todos tenham ciência de que o processo não será aplicado de forma aleatória.
2 - Cabe ressaltar que logo após a comunicação oficial da diretoria, os gestores devem entrar em cena para tranquilizar os membros de sua equipe. No entanto, as lideranças devem ser preparadas para fortalecer o processo de avaliação e acontecerá se os gestores receberem um treinamento prévio, afinal eles serão condutores fundamentais para o êxito do processo.
3 - Realizada a comunicação da diretoria é chegado o momento do gestor conversar com os membros da sua equipe, para explicar como todo o processo será realizado. Cabe muito bem aqui a realização uma reunião com os liderados. Esse momento deve ser bilateral, ou seja, o líder deve falar e abrir espaço para que os demais tirem suas dúvidas por mais simples que seja,
4 - A área de Recursos Humanos deverá sempre estar atenta, pois poderá ser solicitada a dar respaldo aos líderes a qualquer momento. E mesmo que o profissional de RH não seja procurado pelas lideranças, cabe à área acompanhar o processo e identificar os pontos que precisam ou não ser aprimorados.
5 - A avaliação de desempenho não deve ser considerada uma ferramenta de perda, mas sim de ganho para todos os profissionais e, consequentemente, para a empresa. Os profissionais precisam ver que essa ferramenta de Gestão de Pessoas é, muitas vezes, um caminho para que ele desenvolva novas competências sejam essas técnicas ou comportamentais.
6 - Ao manter uma conversa individual com cada colaborador da sua equipe, o líder deve enfatizar que ser avaliado será positivo para sua carreira. Por quê? Porque ao identificar os pontos fortes e aqueles que ele precisa desenvolver, o profissional terá reais chances de desenvolvimento e de ascensão na empresa.
7 - Avaliação de desempenho não é sinônimo de demissão. Isso deve ser explicado, pois quando um funcionário tem a sua performance analisada, ele consegue suprir os gaps. O profissional passa a conhecer, de fato, o que a organização espera dele e, assim, atender e até mesmo superar as expectativas dos seus superiores.
8 - É através da avaliação de desempenho que o funcionário recebe um feedback do gestor sobre as atividades que estão sob sua responsabilidade. Vale aqui uma observação: feedback não "puxão de orelha". Dependendo da forma como a liderança chega ao liderado, o processo de avaliação poderá transformar-se em um momento de terror. Nessa etapa, valerá muito o aprendizado que o líder agregou no treinamento que o preparou para dar suporte a todo o processo.
9 - A avaliação de desempenho não deve apenas ter começo e fim. O processo precisa de um "meio". Quando o profissional é avaliado e precisa desenvolver novas competências, é comum que no transcorrer dos meses seguintes ele se depare coma alguma dificuldade para trabalhar uma competência que foi sinalizada no início do processo. Por essa razão, o gestor e a área de Recursos Humanos servirão de suporte para o profissional avaliado.

10 - Já que a avaliação de desempenho objetiva o crescimento do profissional, cabe ao gestor elaborar conjuntamente com o liderado o famoso PDI - Plano de Desenvolvimento Individual. Nunca um mesmo plano de desenvolvimento poderá ser aplicado como se fosse uma receita de bolo. Se as pessoas possuem suas individualidades, logicamente suas necessidades de desempenho serão diferenciadas.

Fonte: Rh.com.br

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Microsoft vende 1 milhão de sensores Kinect em dez dias

Xbox, videogame da empresa, é campeão de vendas nos EUA

A Microsoft anunciou nesta segunda-feira que já vendeu um milhão de unidades do Kinect, o sensor de movimento para o Xbox360, em todo o mundo nos primeiros dez dias em que o produto está disponível. A empresa espera que 5 milhões de itens sejam comprados até o final do ano.
O sensor foi lançado nos Estados Unidos no dia 4 e, na Europa, no dia 10. As vendas na Ásia começam na próxima quinta-feira. Até o Natal, o Kinect estará presente em 38 países. No Brasil, o lançamento está previsto para quinta-feira.
“Nós testemunhamos muito entusiasmo em torno do Kinect“, disse o vice-presidente sênior da Best Buy, rede de lojas americana especializada em produtos eletrônicos. “Os clientes formaram filas nas lojas na véspera do lançamento.”
A Microsoft também anunciou que o Bbox tem sido o console mais vendidos nos Estados Unidos nos últimos quatro meses. Mais de 25 milhões de membros do Xbox LIVE, plataforma de jogos on-line da empresa, já gastaram mais de um bilhão de horas em jogos da empresa. Isso corresponde a 40 horas por mês para cada jogador.

 Fonte: Veja.com

domingo, 14 de novembro de 2010

Banda Larga e Livre é debatida no fisl11

No dia 13 de maio de 2010, o Diário Oficial da União (DOU) publicou decreto estabelecendo as diretrizes básicas do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), que pretende popularizar o acesso à internet de alta velocidade e, assim, contribuir com a diminuição das desigualdades sociais regionais. A meta do PNBL é, até 2014, estender a cobertura da banda larga – que hoje chega a 12 milhões de domicílios – a 40 milhões de brasileiros.
Trata-se de uma mudança que deve gerar profundas modificações na sociedade, tanto estruturais quanto comportamentais, e essa questão tem estimulado debates em diversas áreas.

Durante a 11ª edição do Fórum Internacional do Software Livre (fisl), que aconteceu de 21 a 24 de julho em Porto Alegre, James Görgen, da Secretaria do Audiovisual (SAV) do Ministério da Cultura (MinC), destacou a intenção do Governo Federal em contar com a participação da sociedade civil e de representantes do mercado na construção do processo desse debate. Para isso, foi instalado, em junho, o Fórum Brasil Conectado, formado por 56 entidades, que será a interface através da qual governo e sociedade civil estabelecerão o diálogo com objetivo de nortear as ações a curto, médio e longo prazo que definirão o PNBL.

“O Plano terá seis dimensões, que devem prever desde normas, regulação e infraestrutura, até conteúdo e aplicações. Algumas das ações a curto prazo, como a reativação da Telebras e o plano inicial para a instalação da banda larga em 100 cidades do Brasil, já estão em curso. Para médio e longo prazo são previstas ações relacionadas a conteúdo e aplicações”, explicou James, acrescentando que esse é o momento ideal para que as sugestões da sociedade sejam encaminhadas ao Fórum Brasil Conectado.

O Grupo de Trabalho (GT) responsável pela discussão a respeito de conteúdo é formado pelos Ministérios da Educação (MEC) e da Cultura (MinC), que indicaram algumas das 56 entidades que formam o Fórum. Além disso, o MinC concedeu apoio ao Fórum de Cultura Digital para a criação de um espaço destinado a receber essas informações (culturadigital.br/pnbl). Todas as colaborações serão reunidas e depois encaminhadas à Casa Civil, para servir como subsídio na elaboração final do Plano. Isso faz do próprio Fórum da Cultura Digital uma das entidades integrantes do Brasil Conectado.

Mas há uma serie de outros campos de atuação com representatividade efetiva nessa metodologia de ação estabelecida. “Existem desde entidades que defendem o consumidor, como o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), até espaços como o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Associação Brasileira de Produtores Independentes de Televisão, Feira da Música Brasil, e outros. São entidades com as quais já mantemos diálogo, e o Fórum Brasil Conectado é o espaço para que esse processo tenha continuidade”, explicou James.

Software Livre


Enquanto o GT de conteúdo ficou sob a responsabilidade dos Ministérios da Educação e da Cultura, os tópicos relacionados a aplicações e serviços ficaram concentrados em um GT que será comandado pelos Ministérios da Saúde e do Planejamento. Entretanto, todas as questões passam pelo Comitê Gestor do Plano de Inclusão Digital (CGPID), e isso coloca em pauta a utilização de softwares livres, que devem ter um papel importante nesse procedimento. “O software livre entra nessas duas esferas. Assim é possível construir soluções que depois serão transportadas por essa banda larga. Não adianta só ter estradas, se não tivermos o que passar por cima dela”, ilustrou James Görgen.

Em breve, portanto, os GTs devem convidar os “atores” que atuam nessa área - como as associações de software livre - para dar início às discussões de algumas diretrizes. Afinal, seja considerando as questões relacionadas a conteúdo ou mesmo àquelas que dizem respeito a serviços e aplicações, percebe-se .o uso intensivo de softwares. “Está justamente aí a importância estratégica dos softwares livres”, finalizou Görgen.



sábado, 13 de novembro de 2010

Facebook pode lançar serviço de e-mails para combater Google, diz site

Facebook Mail pode ser anunciado na segunda-feira (15). Serviço uniria recursos da rede social com troca de mensagens.

 O Facebook pode anunciar na segunda-feira (15) um serviço de e-mail gratuito para enfrentar o popular Gmail, do Google. Dessa maneira, os mais de 500 milhões de usuários que fazem parte da rede social poderiam ter endereços de e-mail “@facebook.com”, facilitando ainda mais a troca de mensagens e de fotos pela internet.

De acordo com o site especializado Techcrunch, a empresa dona da rede social trabalha no serviço desde fevereiro, quando este projeto se chamava “Project Titan”. A publicação especula que o serviço de e-mails pode utilizar recursos da rede social para priorizar amigos no envio de mensagens, separando automaticamente e-mails de amigos mais próximos, por exemplo.
O anúncio do Facebook Mail pode ser feito durante um evento que a rede social irá realizar nos Estados Unidos na segunda-feira (15).

Fonte: G1.com.br

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

O abestado passou no teste!

Palhaço Tiririca vai bem em exame de ditado e já pode ser diplomado deputado federal



Depois de muita polêmica, a confirmação: Tiririca sabe ler e escrever, e, por isso, pode assumir seu cargo de deputado federal eleito por São Paulo com mais de um milhão de votos.

Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP), o Tiririca, teve êxito no teste de leitura e escrita feito nesta quinta-feira pela Justiça Eleitoral. Walter de Almeira Guilherme, presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), contou que Tiririca fez um ditado tirado de um livro editado pelo tribunal: "Justiça Eleitoral, uma retrospectiva". A frase ditada foi extraída aleatoriamente de um livro da Justiça Eleitoral. "A promulgação do código eleitoral em fevereiro de 1932 trazendo como grandes novidades a criação da Justiça Eleitoral."

Ainda de acordo com o presidente do TRE-SP, Tiririca teve de ler uma notícia de jornal e fazer uma interpretação do que leu e escreveu. As manchetes foram "Procon manda fechar lojas que vendem produtos vencidos" e "O tributo final a Senna".

O presidente do TRE-SP ressaltou, porém, que a decisão sobre a diplomação de Tiririca caberá ao juiz Aloízio Silveira, da primeira zona eleitoral.

A polêmica começou depois de uma reportagem da revista Época, poucas semanas antes da eleição, apontando que Tiririca era analfabeto, de acordo com pessoas que trabalhavam e conviviam com ele. No ato do registro da candidatura, Tiririca, assim como todos os candidatos, entregou um documento atestando que tinha o primeiro grau incompleto, mas que sabia ler e escrever. O documento foi submetido à perícia, que apontou irregularidades na caligrafia - uma pessoa poderia ter escrito por Tiririca. O palhaço se recusou a fazer a perícia do documento, o que foi aceito pelo TRE-SP, já que ninguém é obrigado a produzir uma prova contra si mesmo.

E assim o deputado federal Tiririca será diplomado.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Computador produzido pela Apple em 1976 vai a leilão por 150 mil libras

'Apple-1' será vendido com a embalagem original e manuais de instruções. Aparelho foi produzido por Steve Jobs na garagem de seus pais.

Primeiro computador da Apple, produzido em 1976, vinha com fita cassete.

Cerca de 200 aparelhos originais da primeira versão do computador, chamado de “Apple-1”, foram produzidos e lançados em 1976, porém apenas alguns sobreviveram. Na época, o aparelho era vendido por US$ 666,66.
O "Apple-1", que foi descontinuado em setembro de 1977, será vendido com a embalagem original, manuais de instruções e uma carta assinada por Steve Jobs, em que ele dá dicas sobre o melhor monitor e teclado.
Uma fita cassete extra para armazenamento acompanhava o computador, que tinha memória de 8K, 524 mil vezes menor que o padrão usado pela Apple hoje.
O "Apple-1" será vendido pela casa de leilão Christie's, em Londres, em 23 de novembro.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Nokia está atrás em uso de GPS no celular, segundo Telmap

Os usuários de celulares com atributos de navegação via satélite da Nokia ainda não estão utilizando o sistema o bastante para ameaçar a posição dos provedores tradicionais em receita de propaganda, mostraram dados de um concorrente. A Telmap, maior empresa independente de software de navegação, afirmou nesta segunda-feira que continua à frente da Nokia em termos de uso de software, apesar da maior fabricante mundial ter uma base de usuários maior.
Os 1,7 milhão de clientes da Telmap se deslocam por um total de 5,7 milhões de quilômetros por dia, afirmou a empresa em seu primeiro relatório trimestral de uso. Isso se compara com somente 2,5 milhões de quilômetros diários entre os 33 milhões de usuários da Nokia, segundo a consultoria Canalys.
A Nokia anunciou em janeiro que passou a oferecer navegação gratuita em GPS para seus smartphones, mas os dados da Telmap mostram o longo caminho que a Nokia terá de percorrer para criar um nível similar de uso e ser capaz de liderar as receitas de propaganda de serviços e operações locais nesses aparelhos. "A Nokia possui muitos usuários, mas precisa continuar aplicando e fazendo melhoras para estimular o uso pelo seu usuário mais regularmente", disse o analista Tim Sheperd, da Canalys

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Google vai dar aumento de 10% nos salários em 2011, diz mídia

NOVA YORK (Reuters) - O Google vai conceder um reajuste de 10 por cento no pagamento de seus funcionários no início do próximo ano, segundo o site Silicon Alley Insider.
O presidente-executivo da companhia, Eric Schmidt, informou os mais de 23 mil funcionários do Google sobre o aumento por email, segundo o Wall Street Journal.
O Silicon Alley Insider, citando um leitor, afirmou que o Google está dando a todos os seus funcionários bônus de fim de ano de 1.000 dólares além da empresa pagar também aumentos de pelo menos 10 por cento.
"Apesar de nós normalmente não comentarmos assuntos internos, acreditamos que planos de pagamento competitivos são importantes para o futuro da companhia", afirmou um porta-voz do Google por email.
O setor que engloba empresas de Internet está travando uma "guerra por talentos", afirmou o vice-presidente financeiro do Google, Patrick Pichette, em teleconferência com analistas no mês passado.

sábado, 6 de novembro de 2010

Faça mais com seu salário

Com educação financeira e disciplina dá para ter o que você sonha sem se afundar em dívidas

 Juros baixos, crédito fácil e produtos de sobra piscando nas vitrines. Nunca foi tão fácil comprar, ou entrar em dívidas. Para os especialistas em finanças, a solução para o aperto no bolso não é deixar de consumir, mas saber o que e como comprar. O terapeuta financeiro Reinaldo Domingos, autor do livro Terapia Financeira (Editora Gente), acredita que o problema começa cedo, ainda na infância, quando aprendemos a consumir, e não a poupar. Por isso é tão difícil conquistar sonhos que são caros sem entrar no vermelho, diz. Sair do sufoco financeiro pode até ser uma tarefa difícil, mas não é impossível.

O primeiro passo para uma reeducação financeira é adotar uma planilha de custos, analisando onde é possível fazer reduções e quais gastos podem ser eliminados. O segundo passo é respeitar o seu salário (veja quadro abaixo). Esse conceito pode parecer abstrato, porém, de acordo com Reinaldo, costuma funcionar. Ao deixar de desprezar o dinheiro e passar a respeitá-lo, você estabelece uma relação saudável com ele. Assim, ele deixa de ser um inimigo e se transforma em um aliado, afirma.

Estabeleça seus sonhos de consumo Para o planejador financeiro Fabiano Calil, de São Paulo, se uma família não consegue poupar nada no final do mês, precisa discutir o consumo de todos. Nas clínicas financeiras verificamos que, nesses casos, 50% do orçamento familiar está comprometido com empréstimos, dívidas e juros, comenta.

Agora, se você não está atolado em dívidas e, ainda assim, não consegue economizar 1 centavo, pode ser que esteja fazendo algo errado: deixando os sonhos em segundo plano. Para Reinaldo, os desejos de consumo devem ser colocados em primeiro lugar. Assim que se recebe o salário, deve-se tirar o dinheiro que será economizado para realizar os desejos. Por fim, diz ele, deve-se adequar as despesas ao valor dos sonhos, e não o contrário.

 Rumo à Europa com renda de 5 000 reais A publicitária Hanna Abou Jokh, de 29 anos, coordenadora de contas da Morya Comunicação, em São Paulo, sempre quis conhecer a Europa. Com uma renda de 5 000 reais, em apenas um ano ela poupou o suficiente para passar um mês viajando. A publicitária investiu quase todo o 13º salário na compra das passagens aéreas para visitar seis países. Gastei 4 600 reais para comprar todos os trechos. Do meu 13º só sobraram 560 reais. Mas valeu a pena, pois, como fiz as reservas com antecedência, paguei bem mais barato.

A hospedagem é um caso à parte: vai sair de graça. Hanna se inscreveu no CouchSurfi ng (www.couchsurfing.com), um serviço de hospitalidade virtual que possibilita a um viajante ficar hospedado gratuitamente na casa de um morador local. Mesmo assim, só por garantia, ela está guardando na poupança, com rendimento médio de 0,57%, cerca de 300 reais por mês. Tenho quase 2 500 reais. Além disso, vou receber um terço das minhas férias e a primeira parcela do 13º. No total, vou viajar com cerca de 7 000 reais no bolso, revela.

A partir de outras faixas de renda familiar, veja como economizar para fazer uma viagem semelhante à da publicitária:
2 500 REAIS
Decida seu destino com pelo menos dois anos de antecedência e faça uma poupança apenas para isso. A cada mês, deposite uma quantia equivalente a 250 reais, no mínimo. Isso somará 6 000 ao final de dois anos, sem contar os rendimentos, de até 0,57% ao mês, afirma o consultor financeiro Fabiano Calil. Para turbinar suas economias, você precisará diminuir bem, ou até eliminar, os gastos em todas as outras áreas. Assim como a publicitária, use seu 13º para adquirir as passagens  elas podem ser compradas até um ano antes da data de embarque com descontos de até 30%. Evite viajar entre junho e agosto  quando é verão no Hemisfério Norte e tudo fica mais caro. Faça reservas em hotéis econômicos ou albergues. Procurando bem, é possível gastar 277 euros (657 reais) com hospedagem durante os 30 dias. Mas as reservas devem ser feitas antecipadamente através de sites como o do Hosteling International (www.hostel.org.br), ou o booking.com, que oferece até 75% de desconto em hotéis de diversas categorias.

7 000 REAIS
Com essa renda mensal, é possível programar o embarque para a Europa com um ano de antecedência. Depois de definido o roteiro, invista parte do 13º salário na compra das passagens. Por mês, coloque cerca de 455 reais na poupança ou aplicação de renda fixa, reserva que será usada com gastos em hospedagem, alimentação e passeios, diz Fabiano. Ao final de um ano, se tiver aplicado na poupança, terá economizado cerca de 5 660 reais, com rendimento médio de 0,57%. Caso tenha escolhido os fundos de renda fixa, poderá ter quase 5 500 reais. Lá fora, procure não exagerar. Hospede-se em hotéis mais baratos. Procure os locais no site Booking.com. Com ele, é possível encontrar diárias em bons hotéis por cerca de 40 euros. Também vale segurar um pouco a carteira em restaurantes chiques. Em cidades como Roma ou Londres, a diferença pode ser de mais de 300 reais em um local sofi sticado.

10 000 REAIS
Valem as mesmas regrinhas de quem tem renda familiar de 7 000 reais. Se você investir 650 reais durante 12 meses na poupança, com um rendimento de 0,57% ao mês, poderá conhecer a Europa com pouco mais de 8 000 reais no bolso  algo em torno de 3 375 euros. Colocando tudo o que sobra do seu salário na realização desse sonho e com a ajuda do 13º e dos valores que você receberá logo que entrar de férias, é possível fazer uma ótima viagem, com direito a hospedagem em hotéis três ou quatro estrelas por precinhos camaradas  cerca de 150 reais a diária, o suficiente para 22 pernoites com a grana reservada.

Um carrão com renda de 7 000 reais O gerente de produtos da Sony Ericsson, Murilo Vargas, de 29 anos, tinha o sonho de dirigir até as montanhas da Patagônia. Para isso, decidiu comprar uma picape usada Mitsubishi L200 Sport HPE, ano 2006, por 60 000 reais.

Murilo adquiriu o carro à vista. Como ele conseguiu? Para evitar financiamento de longo prazo, me planejei para economizar até o momento de fechar o negócio. Cortei diversas despesas, como compras de ocasião e gastos com baladas, explica. Com uma renda em torno de 7 000 reais, durante um ano ele aplicou de 2 000 a 3 000 reais por mês em Certificados de Depósito Bancário (CDBs), que têm uma rentabilidade em torno de 0,6% ao mês. Ao final desse período ele tinha mais de 33 000 reais. O restante do valor ele conseguiu colocando o antigo carro, que valia 27 000 reais, na negociação. No começo de 2010 ele realizou seu sonho.

A partir de outras faixas de renda familiar, veja como economizar para conquistar um carro:
2 500 REAIS
Tente adquirir um carro à vista. Com quatro anos de poupança, depositando 420 reais mensais, com rentabilidade de 0,57% ao mês, é possível comprar um veículo que custe cerca de 23 000 reais. Pagando à vista, o valor do carro pode cair até 15%, dependendo da negociação, e você ainda consegue colocar itens extras. Agora, se não pode esperar muito tempo, a única saída é fazer um financiamento. Para ficar dentro do seu orçamento, as parcelas não devem ultrapassar 400 reais. Com juros de 1% ao mês, dando uma entrada de 5 000 reais  que pode ser economizada ao longo de um ano, aplicando 410 reais por mês na poupança  e financiando o restante do carro por 60 meses, as prestações do automóvel ficariam em torno de 390 reais.

5 000 REAIS

Vale a mesma regra de poupança utilizada para quem ganha 2 500 reais. Financiar o automóvel também pode ser interessante, uma vez que a taxa média de juros é de 1% ao mês, uma das mais baixas do mercado. Apenas evite as opções de parcelamentos sem fim  opte por um financiamento de até três anos. A partir daí, o veículo não tem mais garantia e começa a exigir manutenção. Podem surgir despesas maiores que as das parcelas pendentes, alerta Fabiano. Se você já tiver um veículo, deve colocá-lo na negociação e, assim, baixar o valor das parcelas.

10 000 REAIS
Com essa renda, dá para adquirir um carro utilitário, que custa cerca de 64 000 reais. Seguindo o exemplo de Murilo, se você der seu carro de entrada e ele valer algo em torno de 20 000 reais, as parcelas de um fi nanciamento, com 1% de juros ao mês, ficariam em torno de 965 reais. Agora, se você quer economizar e comprar à vista, é preciso aplicar 2 500 reais por mês em CDB, com rendimento em torno de 0,6% ao mês. Ao final de dois anos, você terá 47 000 reais. Colocando seu carro atual no negócio, você consegue adquirir um novo veículo sem nenhuma conta no final.
Uma casa para toda vida a partir de 5 000 reais
O administrador Marcelo Pavam, de 32 anos, diretor da Supernova Indústria de Alimentos, empresa de alimentos finos em conserva, construiu a casa ideal em Nerópolis, Goiás. Casado com Carolina, de 31 anos, e pai de três filhos, o casal tinha renda familiar de 5 000 reais e vivia de aluguel quando começou o projeto, em julho de 2009. Não poupamos nada antes da obra, mas fizemos um cronograma de quanto poderíamos gastar por mês e o seguimos à risca.
Para isso, foram cortadas despesas de viagens, saídas à noite e restaurantes. Mudamos para uma casa com aluguel mais barato e reduzimos as contas de água, luz e telefone, diz. A casa ficou pronta em janeiro de 2010. Tem 270 metros quadrados e custou 120 000 reais, incluindo os 40 000 da compra do terreno de 2 000 metros quadrados. O lote foi financiado em 100 parcelas, com uma entrada de 6 000 reais. A principal parte do dinheiro investido veio de uma herança de 35 000 reais e de um empréstimo com parentes, sem juros, no valor de 20 000 reais. Ainda temos seis prestações para pagar, o que consome 20% de nossa renda, explica.

A partir de outras faixas de renda familiar, veja como economizar para adquirir seu imóvel:
2 500 REAISAs duas opções mais viáveis para quem quer adquirir a casa própria são continuar pagando aluguel e economizar o máximo possível para comprar um imóvel. Ou juntar uma grana, dar de entrada na nova casa, mudar-se e financiar o restante. Para as prestações não pesarem tanto, essa entrada deve ser generosa, de pelo menos 50 000 reais, no caso de um imóvel de 100 000 reais. Isso faria com que as cerca de 180 prestações, média para financiamentos imobiliários, com juros de 1% ao mês, ficassem em torno de 580 reais mensais, explica Fabiano Calil. Se você não precisa pagar aluguel, invista na poupança. Economizando 580 reais por mês, com rendimentos de 0,57%, em seis anos você terá mais de 50 000 reais.

7 000 REAISPara quem está com o orçamento mais folgado, investindo 2 500 reais por mês em uma poupança, com rentabilidade de 0,57%, em dois anos é possível juntar mais de 50 000 reais para dar de entrada em um imóvel de 150 000 reais. O restante pode ser fi nanciado, com 1% de juros ao mês, em 180 vezes de cerca de 1 100 reais mensais. Caso planeje construir, vai ter de economizar o mesmo valor por quase cinco anos, apesar de incentivos como linhas de crédito especiais para a construção e da manutenção da desoneração do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os materiais de construção. Essas facilidades podem ser conseguidas em bancos, por meio de um empréstimo específico para construção, com juros que variam de 1,66% a 3,13%. Aplicando seu dinheiro num CDB, com rendimentos de 0,6%, ao fi nal de 55 meses você terá 162 000 reais. Com esse valor é possível comprar um lote de 50 000 reais e investir o restante na construção de uma casa na região Cento-Oeste do país, onde esses valores foram apurados. Para outros lugares os preços podem mudar, mas as estratégias de poupança são as mesmas, diz Fabiano.

10 000 REAIS

Primeiro você terá de juntar uma entrada de, no mínimo, 40 000 reais. Aplique, todos os meses, 3 500 reais na poupança, com um rendimento médio de 0,57%. Um investimento pesado? Sem dúvida, mas ao final de um ano você terá mais que o necessário para a entrada. Com esse valor, em uma cidade como São Paulo, você pode adquirir um imóvel de 250 000 reais, financiando o restante com juros de 1% ao mês. A metragem e o tipo de imóvel podem variar muito, dependendo do bairro escolhido. De qualquer forma, as parcelas ficariam em torno de 2 400 reais. Usar o FGTS de todos os membros economicamente ativos da casa para quitar o imóvel é outra opção.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Em busca do reconhecimento

Jerônimo Mendes

De acordo com Thomas Dewey, político e promotor norte-americano, sentir-se importante, ser reconhecido e ser valorizado são os três princípios básicos da natureza humana. Com base nesse pressuposto, uma das reivindicações mais esperadas pelos profissionais de uma organização é o famigerado reconhecimento e na maioria delas, isso acontece para poucos privilegiados ao longo de uma carreira profissional de 20 ou 30 anos de bons serviços prestados.
Durante as minhas andanças pelas empresas, é comum ouvir as pessoas reclamarem que estão no mesmo cargo ou setor há anos e não são reconhecidas. E depois de cinco anos, talvez eu volte lá e encontre as mesmas pessoas reclamando que ainda não foram reconhecidas. E lá se vão dez anos e as mesmas pessoas ainda continuam esperando o dito reconhecimento. E da próxima vez que eu encontrá-las com a mesma reclamação na ponta da língua, a pergunta será muito simples: o que é você ainda está fazendo aqui?
O ser humano é carente em todos os sentidos. A pressão diária pela sobrevivência não é prerrogativa dos mais fracos, portanto, a eterna busca do sucesso, da felicidade e do reconhecimento remete negros e brancos, orientais e ocidentais, ricos e pobres, homens e mulheres, a determinadas situações difíceis de ser solucionadas com abundância de bens materiais e dinheiro.
A necessidade de sonhar com um mundo diferente faz parte da estrutura psicológica do ser humano. Ele vive uma eterna ansiedade quando está triste ou ainda quando está feliz e deixa de viver aquilo que a vida lhe reserva com extrema sabedoria a partir do momento em que se torna obsessivo na perseguição de um objetivo distante da sua realidade.
Embora seja importante para o desenvolvimento da sua personalidade ou mesmo da sua carreira, o fato é que não se pode viver a vida toda esperando pelo famigerado reconhecimento. Se isto for a sua única esperança de vida, você está perdido e a frustração será inevitável. E quanto mais você se ligar ao fato de que o reconhecimento é tudo o que você precisa, maior a decepção.
Até há pouco tempo eu vivia obcecado com a falta de reconhecimento considerando o esforço de 40 anos dedicado ao aperfeiçoamento e à melhoria constante como ser humano, digno de receber todas as glórias terrenas. Contudo, nada funciona exatamente como desejamos. Na medida em que você começa a desejar menos e a trabalhar mais, de maneira estratégica, a ansiedade diminui e os resultados aparecem.
Ser reconhecido é uma dádiva que depende de direcionamento, tempo e muita persistência. Enquanto você espera o tempo que for necessário para que o reconhecimento apareça, vale a pena refletir sobre algumas posturas que fazem muita diferença nesse processo, desde que você esteja disposto a não se entregar facilmente diante do primeiro obstáculo. Você se sente importante, reconhecido e valorizado quando:
- Escuta a sua própria voz: não depender tanto da aprovação alheia é melhor antídoto contra a baixa auto-estima e falta de amor próprio.
- Põe seu coração em tudo que faz: ainda que o trabalho tenha pouco a ver com a sua vocação e o ganho seja inferior ao que você merece, mantenha a esperança e a fé em si mesmo.
- Realiza o trabalho com boa vontade e bom humor: talvez isso não seja suficiente para qualquer reconhecimento no início, mas mantém o espírito alerta para mudanças e novas oportunidades.
- Mantém o foco nas coisas que agregam valor: pare de perder tempo com as picuinhas que aparecem a todo instante para testar a sua serenidade; concentre-se no que é importante.
- Evita comparações inúteis: você nunca será a Gisele Bündchen ou o Kaká, entretanto, poderá ser melhor e ainda mais feliz do que eles, cada um à sua maneira.
- Deixa de esperar que as coisas aconteçam exatamente como você imagina ou deseja: pare de sofrer sem necessidade, afinal, nada é certo nesse mundo, a não ser o fato de que chegamos sem pedir e vamos embora sem querer.
- Trabalha sistematicamente para atingir seus objetivos: aqueles que são chamados de loucos, obsessivos, egoístas e outros predicados pouco interessantes são exatamente aqueles que deixam seu nome registrado na história.
- Confia em si mesmo e não nas coisas que você realiza: sinta paixão pelo trabalho, mas seja imparcial com relação aos resultados. Caso contrário, você concentrará mais energia mais do que o necessário no resultado e faltará energia para a realização.
O reconhecimento é a maior das conquistas humanas, entretanto, o fato de você ainda não ter sido reconhecido não significa que o trabalho não foi feito a contento. O mundo é muito contraditório e o mesmo herói de hoje poderá ser sacrificado amanhã, o mesmo injustiçado de hoje poderá glorificado amanhã, portanto, enquanto o reconhecimento não vem, continue trabalhando da melhor maneira possível com todas as suas forças. A vitória conta, mas a batalha também. Como diria Emerson, poeta e pensador norte-americano, a vida é uma experiência e quanto mais experiências você tiver, melhor. Experimente isso e seja feliz!

Fonte: RH.com.br

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Microsoft lança Kinect no Brasil

Filipe Albuquerque

Talvez o maior lançamento da Microsoft neste ano, o Kinect chega ao Brasil no próximo dia 18 por R$ 600. O acessório permite aos jogadores controlar games apenas com gestos e movimentos, sem o uso de um joystick.
A tecnologia foi apresentada em 2009 como 'Projeto Natal' pela Microsoft. Segundo Guilherme Camargo, gerente de marketing para Xbox 360 da Microsoft Brasil, “acredito que atrairemos novos jogadores que têm aversão ao joystick ou que querem atrair a namorada ao games”. O acessório funciona em conjunto com o console Xbox 360 e foi criado pelo brasileiro Alex Kipman.
O aparelho é composto por um conjunto de câmeras que mapeia o jogador e o ambiente em que ele está. Assim, o sistema identifica onde estão braços, pernas e a cabeça do usuário, e transfere seus movimentos para dentro da tela. Os menus do console podem ser acessados com simples gestos e sem pressionar um botão. Ao ligar o aparelho, ele visualiza a sala e o jogador, realizando um pequeno movimento para baixo e para cima.

Fonte:  PCMagazine

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Dell trocará BlackBerrys de funcionários por telefone próprio

3A alteração reduzirá 25% dos gastos com comunicação móvel

 

A fabricante de computadores americana Dell declarou nesta quinta-feira que vai promover a troca dos celulares de 25.000 de seus funcionários. Os empregados da companhia passarão a usar o aparelho criado pela própria empresa, o Dell Venue Pro, em lugar de modelos BlackBerry, da canadense RIM.

Com a mudança, que terá início na próxima semana, a Dell pretende economizar cerca de 25% de seus gastos com comunicação móvel. Outra finalidade da mudança é convencer os clientes da companhia a aderir ao celular da marca.

O Dell Venue Pro utiliza o sistema operacional Windows Mobile 7, da Microsoft. Nos Estados Unidos, ele funciona com a rede da T-Mobile.


Fonte: Veja.com.br

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Usando o Twitter em português

Esta dica é bastante interessante para aqueles que não tem bastante conhecimento no inglês e não querem ficar de fora de um dos fenômenos da Internet, o Twitter.
Lembramos que apesar de não ser uma solução definitiva pode ajudar bastante aqueles com dificuldade.
A dica também pode ser utilizada em qualquer outro portal da internet, site ou blog. Vale a pena conferir esta maneira prática e rápida para traduzir páginas.
Mas como utilizar o Twitter em português é a grande dica que trazemos para vocês.
  • Passo 1: Utilize o Internet Explorer 6, 7 ou o novo e rápido 8;
  • Passo 2: Vá até o site da google em:
    http://www.google.com/intl/pt-BR/toolbar/ie/index.html ;
  • Passo 3: Baixe e instale a Barra de Ferramentas com tradução automática para a língua que estiver usando. É grátis e leva apenas alguns segundos para instalar.
  • Passo 4: Acessar o Twitter e clicar no botão traduzir ba barra de Ferramentas do Google.
As páginas seguintes que você navegar no twitter serão traduzidas em instantes após aparecer no idioma de origem

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O Poder das Redes Sociais

Por Jossiano Leal

Enquanto muitas empresas ainda parecem não crer no poder que as mídias sociais tem, vou citar alguns exemplos que aconteceram comigo recentemente para provar o quão importante elas tem sido.
Exemplo 1: A Copa do Mundo na África do Sul estava bombando e a Paquetá Esportes faz uma promoção via Twitter para quem acertasse os resultados dos jogos do Brasil. Aposto, no jogo contra a Costa do Marfim, em 3 a 1 para o escrete canarinho. Finzinho do jogo, 3 a 0 para a Seleção e Drogba faz um gol. Eu discretamente comemoro, e ganho uma camisa oficial da Seleção da Argélia, entregue em casa pelos Correios.
Exemplo 2: Libertadores da América, semi-final entre Inter e São Paulo. O Banco Santander, patrocinador da competição, faz uma promoção nas principais redes sociais, Twitter, Orkut e Facebook, onde sorteia ingressos para a área Vip. Ganho o sorteio, e de acordo com o enunciado da promoção do Twitter e confirmado pelo telefone na ligação que recebi, e também por e-mail, seriam um par de ingressos para o jogo. Com isso, resolvi levar comigo o meu irmão, que já tinha um ingresso, o qual ele cedeu para a nossa irmã, que não é sócia do Inter.
Chegamos então no dia do jogo junto à tenda do Santander, conforme instruções recebidas por e-mail. Ao chegarmos, foi informado que só o meu nome constava do sistema e que não teria direito ao segundo ingresso, no caso, do meu irmão.
Abri o meu N95 e mostrei os dois e-mails para o senhor Celso, da Group Comunicação (agência que cuida do marketing do banco), e o mesmo teve bom senso e boa vontade, liberando o credenciamento do meu irmão.
E se eu não tivesse um smartphone e não tivesse como comprovar que eu tinha direito a um par de ingressos para o jogo? Meu irmão, que tinha um ingresso para a arquibancada superior e cedeu o mesmo para a minha irmã para me acompanhar na Torcida Santander, não teria visto o jogo por uma falha interna de comunicação?
Enviei a reclamação para o banco e fui respondido rapidamente com um pedido de desculpas.
Exemplo 3: Em agosto assinei o serviço de TV por assinatura da Sky, que dava na época um desconto razoável para quem era cliente da GVT. No dia da instalação, como o instalador demorou mais que o previsto, me atrasei para o trabalho, e publiquei no Twitter algo como “Valeu Sky, por fazer eu me atrasar para o trabalho”. Em poucos minutos recebi uma resposta no Twitter pedindo desculpas.
Dois dias depois recebi uma fatura por e-mail e achei estranho, já que não conhecia o sistema de cobrança da empresa, e reclamei novamente no Twitter. Novamente tive resposta rápida, informei meu código de cliente e em poucos minutos estava recebendo uma ligação me explicando todo o processo de cobrança e da fatura. Não satisfeita, a Sky ainda me enviou por e-mail todas as informações passadas pelo telefone. Agilidade nota 10.
Exemplo 4: Não encontrei os chocolates Bis sabor limão no supermercado que costumo ir, o Zaffari da Otto Niemeyer. Pelo site do Zaffari, relatei que gostaria de poder comprar tal chocolate. Me ligaram, e em 3 dias, estava disponível no súper o Bis Limão. E meu comentário no Twitter e no Facebook sobre isso gerou várias respostas de gente que resolveu experimentar este chocolate, elogiando ou criticando, de acordo com o gosto de cada um.
Exemplo 5: O clicRBS mudou o seu layout. Comentei no Twitter que não tinha gostado do posicionamento das notícias e em alguns minutos recebi uma mensagem do site dizendo que várias outras pessoas também compartilhavam da minha opinião, e que estavam trabalhando para corrigir isto.
Há também as empresas (e órgãos públicos) que ainda não estão se importando com o feedback, usando as mídias só para informar. E ainda as que só dão retorno quando conveniente, como uma rede de restaurantes que respondeu rapidamente quando perguntei sobre entrega, mas ignorou minha pergunta de porque eles não aceitavam vale-refeição à noite, mas aceitavam no almoço.
Alguém ainda duvida do poder das redes sociais?

Fonte: Tecnozilla
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...